O mês de maio é um período sempre muito especial e aguardado por todos devido a uma data presente nos seus dias, o dia das mães. Esta data sempre ocorre no segundo domingo do mês de maio, neste ano, no dia 12, Solenidade da Ascensão do Senhor. Este é um dia de lembrar daquela que nos trouxe para este mundo e que nos educou na fé, nos ensinando o significado da palavra ternura.

Para a igreja, o mês de maio tem um grande significado espiritual porque é dedicado a Maria, e somos convidados assim, a dedicarmos ainda mais as devoções marianas, como por exemplo o Santo Rosário, que é uma oração cristológica, pois com Maria contemplamos os grandes mistérios de nossa Salvação. Na exortação Gaudete et Exsultate, o Papa Francisco nos recorda que Maria “viveu como ninguém as bem-aventuranças de Jesus. É aquela que estremecia de júbilo na presença de Deus, aquela que conservava tudo no seu coração e se deixou atravessar pela espada […] Ela nos mostra o caminho da santidade e nos acompanha. E, quando caímos, não aceita nos deixar prostrados por terra; às vezes nos leva nos braços, sem nos julgar”.

Durante o mês de maio temos a memória de uma das maiores devoções do Século XX, Nossa Senhora de Fátima, no dia 13 de maio. Devoção essa, que nos convoca justamente a voltarmos nosso olhar para a oração e a conversão. A senhora de Fátima nos educa que, apenas com o auxílio da oração e da penitência conseguiremos vencer as dificuldades da vida e seguirmos firmes no caminho de Nosso Senhor.

No dia 20 de maio nosso seminário diocesano se encontra em festa pois celebra “Maria, Mãe da Igreja”, sua padroeira. Essa festa tem origem no dia 21 de novembro de 1964, onde, concluindo a terceira sessão do Concílio Vaticano II, São Paulo VI proclamou a Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja e estabeleceu que assim fosse invocada por todo o povo cristão. Em 11 de fevereiro de 2018, o Papa Francisco estendeu a celebração desta memória para toda a Igreja, inserindo-a no Calendário Romano Geral, na segunda-feira após Pentecostes. Desde a criação do seminário diocesano, foi confiado a Maria mãe da igreja os futuros padres da Diocese de Colatina.

Dia 24 de maio contemplamos a festa de Nossa Senhora Auxiliadora, onde na nossa Diocese temos duas paróquias assistidas por essa devoção, as paróquias de Marilândia e de Itarana. Esta devoção tem origem em uma vitória da armada para salvar os cristãos que eram mantidos escravos pelo mulçumanos. Em 1816 o Papa Pio VII criou a festa de Nossa Senhora Auxiliadora, São João Bosco ajudou na difusão dessa poderosa devoção consagrando sua grande congregação salesiana sobre os cuidados da mãe auxiliadora dos cristãos.

Que neste mês possamos aumentar ainda mais a confiança em Nosso Senhor Jesus Cristo pela intercessão de Maria e que ela nos auxilie cada vez mais em nossas necessidades para que possamos afirmar cada vez mais a oração da coleta da memória da Virgem Maria: “Concedei-nos que, seguindo seus ensinamentos e com espírito de verdadeira penitência e oração, trabalhemos generosamente pela salvação do mundo e pela dilatação do reino de Cristo.”

Matheus Eloy T. Ramos – Seminarista do 2º Ano de Filosofia

Últimas postagens

O mês de maio e a devoção mariana

Veja também

Peregrinos da Esperança: Mensagem do Papa Francisco para o 61º dia Mundial de oração pelas vocações

Veja também

Seminário participa dos festejos de Nossa Senhora da Penha 2024

Veja também

“Amou-nos até o fim” (Jo 13,1) – Espiritualidade da semana santa

Veja também
Ajude o Seminário