“Àqueles a quem perdoardes os pecados, lhes serão perdoados” Jo 20, 23

Estamos chegando ao fim da quaresma, um tempo favorável para voltar o coração a Deus, tempo de buscar a reconciliação com Pai. E nós cristãos católicos somos chamados a fazer isso por meio do sacramento da Penitência, perdão ou como conhecida a “confissão” que segundo o CIC assim é chamada “porque a declaração, confissão dos pecados diante do sacerdote é elemento essencial desse sacramento. Em sentido profundo, esse sacramento também é uma “confissão”, reconhecimento e louvor da santidade de Deus e de sua misericórdia para com o homem pecador” (n° 1424).

Mas existe muitas pessoas que não compreendem o sentido verdadeiro da quaresma e o amor de Deus revelado no sacramento da penitência. São diversas as queixas que ouvimos, não preciso ir até o padre, confesso direto a Deus! O padre é um homem como eu, é um pecador também, não vou me confessar!

Neste texto vamos tentar entender a riqueza do período quaresmal e a importância de se confessar, reconciliando-se com Deus.

O tempo da quaresma inicia na Quarta-Feira de Cinzas, onde somos chamados a reconhecer a nossa pequenez, “você é pó, e ao pó há de voltar” Gn 3,19, acolhendo assim o apelo feito por Jesus: “Arrependam-se e acreditem no evangelho” Mc 1, 15. Somos chamados neste período a fazer o caminho de deserto junto a Jesus, nos diz o Papa Francisco: O deserto é o espaço onde a nossa liberdade pode amadurecer numa decisão pessoal de não voltar a cair na escravidão. Portanto é um tempo de recolhimento, de silencio, nestes 40 dias toda igreja é chamada a viver três pilares: Jejum, oração e caridade.

O jejum deve conduzir ao encontro consigo mesmo, é o olhar para dentro, para tudo aquilo que tem sido excesso, para adquirir domínio sobre nossos instintos e a liberdade de coração. A oração deve nos dirigir ao encontro com Deus, somente nele podemos caminhar, portanto é momento de bastante oração e por fim, a caridade que nos leva até o outro, até o irmão.

Todo esse caminho nos prepara para a grande festa da pascoa, podendo assim celebrar a nova vida em cristo. O caminho para vida nova passa pelos pilares da quaresma e principalmente pelo sacramento da penitência. Por isso é importante nesse período procurar o sacerdote para se confessar. Feito olhar para si mesmo, você reconhece seus vícios, suas mazelas. Para Deus, você agradece o amor misericordioso de Deus e sua bondade. Olhando para o próximo, você percebe as vezes que foi indiferente, egoísta. E assim já inicia o caminho de um bom exame de consciência para reconhecer o pecado, arrepender-se e assumir a vida nova em Cristo.

É preciso deixar claro que na confissão, o padre representa o Cristo, o sacerdote é instrumento, canal da graça para reconciliação dos pecados, e isso não é algo que simplesmente um homem inventou, mas algo que o próprio Cristo concedeu aos apóstolos: “Recebem o Espírito Santo. Os pecados daqueles que vocês perdoarem, estarão perdoados. Os pecados daqueles que vocês não perdoarem, não serão perdoados” Jo 20, 22-23. O penitente deve enxergar no sacerdote aquele Pai que acolhe o filho prodigo que foi para a vida mundana, se arrependeu, e voltou, sendo acolhido com um forte abraço do Pai Lc 15, 11-32.

Mas o padre é um pecador como eu! Assim muitos querem argumentar, mas um psicólogo também faz terapia com outros psicólogos, médicos também ficam doentes, ou seja, apensar de pecador a ele foi dada autoridade para perdoar os pecados em nome de Deus. É necessário se fazer pequeno, ser humilde, assim nos diz a palavra: “Eu lhes garanto: Se vocês não se converterem e não se tornarem como as crianças não entrarão no Reino dos Céus. Portanto, quem se faz pequeno como está criança, esse é o maior no Reino do Céus” Mt 18, 3-4.

Para vivermos um profunda e santa Quaresma, vivamos com intensidade a oração, a caridade e jejum, que busquemos a reconciliação com Deus, pois Deus é rico em misericórdia.

Geisilan Barbosa dos Santos

Últimas postagens

A espiritualidade no cultivo da vocação

Veja também

1° Romaria Diocesana vocacional de coroinhas ao santuário Nossa Senhora da Saúde

Veja também

Férias de Julho: Pastoral, Formação e Recesso

Veja também

Vocação: Graça e Missão – “Corações ardentes, pés a caminho” (Lc 24,32-33)

Veja também
Ajude o Seminário